Durante o inverno a prevenção contra bactérias e pneumonia deve ser redobrada


As bactérias estão presentes nos ambientes na mesma quantidade durante o ano todo, porém a incidência das doenças relacionadas às bactérias é maior nos períodos mais frios do ano. Segundo a infectologista e clínica médica, Dra. Maria Inez Domingues Kuchiki, da Cardio & Saúde, no frio as pessoas se aglomeram mais, principalmente em ambientes fechados, como meios de transportes, que ficam com a maioria das janelas fechadas.

“Temos a tendência de ficar mais próximos para se esquentar, mas é nessa aglomeração que acontecem a maioria das transmissões, principalmente dos vírus que são transmitidos pelo ar, através de gotículas que surgem durante uma conversa, uma tosse ou um espirro.

Durante o outono e o inverno aumentam os casos de infecções virais, como resfriados, gripes e faringite viral, que são as infecções que acontecem no ano todo, mas aumentam de quantidade nesta época do ano.”

Uma pessoa que é diagnosticada com algum vírus, como o da gripe, possui mais chances de evoluir para uma infecção bacteriana. A infectologista explica que quando o paciente tem um resfriado, ficando três quatro dias com coriza, pode fazer com que aquela secreção acumulada prolifere o número de bactérias, possibilitando a evolução para uma sinusite ou faringite que era viral, uma dor de garganta simples por vírus, complicar o estado com uma infecção bacteriana.

“Entre as evoluções mais comuns está a gripe e que pode evoluir para uma pneumonia bacteriana. A população deve ficar atenta, porque depois de doenças cardiovasculares, a pneumonia é uma grande causa de óbitos, devido ao tratamento tardio e pela descompensação da doença de base do paciente, como diabetes e outras doenças crônicas.”

É importante que a população saiba que a pneumonia não é uma doença exclusiva do inverno e que pode acontecer mesmo sem ter tido gripe. A melhor forma de prevenção é evitar os ambientes fechados e com aglomerações. Como orientação à população, é necessário salientar que também existe uma vacina específica para a pneumonia, que é indicada principalmente para idosos, crianças e pessoas com doenças crônicas.

Caso o indivíduo não tenha se vacinado, deverá ficar atento aos sintomas da doença, que são febre e tosse (aquela persistente, arrastada). “O tratamento é realizado com a indicação de antibióticos e quanto antes iniciar com a medicação, melhores serão os resultados. O processo dura em média 7 dias, porém, há casos em que a pneumonia pode apresentar complicações, então o tratamento pode se estender em até 14 dias”, finaliza a Dra. Maria Inez.

Dicas de prevenção

- Abrir as janelas em locais fechados;

- Evitar aglomerações;

- Quando tossir ou espirrar, cubra o local com um lenço ou com o braço;

- Lavar as mãos;

- Evitar o cigarro

- Passou de 48 horas com sintomas, procure um profissional da área da saúde.

Posts Em Destaque